As 10 palavras mais usadas nos perfis dos brasileiros no LinkedIn

Ranking de palavras é reflexo do momento do mercado de trabalho brasileiro. Veja por que

Estamos em um país de especialistas? Entre os 31 milhões de perfis brasileiros no LinkedIn o termo que mais repete é “especializado”.

A pesquisa anual com as 10 palavras mais populares nos currículos dos brasileiros no LinkedIn em 2017 mostra que a expressão “com experiência” também está em alta. O termo qualificado, que nem aparecia em 2016, aparece em 5º lugar.  Veja o top 10 de 2017 e do ano anterior:

“As pessoas estão se descrevendo mais pelas suas habilidades, competências e experiência e não só pelo nome do cargo”, diz. Natalia Rocha, gerente de marketing do LinkedIn para a América Latina.

Na opinião da psicóloga Sofia Esteves, presidente do conselho do Grupo Cia. de Talentos, trata-se de reflexo do mercado de trabalho em 2017 que deu destaque para a qualificação técnica.

Nos anos anteriores – a pesquisa é feita desde 2013 – aspectos comportamentais ou de gestão, como a palavra líder e o termo estratégico, eram mais populares nos perfis, acompanhando demanda do mercado, segundo Sofia.

É bom ter essas palavras no perfil? 

“ Essas são as palavras mais usadas pelos usuários na hora de se descrever e, não, necessariamente os termos de busca mais utilizados pelos recrutadores”, diz a gerente do LinkedIn.

O segredo de um perfil atraente no LinkedIn reside em usar as palavras certas. Recrutadores procuram profissionais na rede social utilizando palavras-chave da função, cargo ou do mercado específico para o qual estão recrutando.

Um especialista em determinada área pode aparecer numa pesquisa feita por um recrutador também pelo termo “especializado” que colocou no seu perfil.

Palavras mais específicas é que podem dar mais relevância ao currículo e são os fatos, dados, números e resultados atrelados à sua descrição que dão credibilidade ao currículo.

Uma pessoa da área gráfica que se descreve como criativa, por exemplo, pode colocar link para o portfólio digital para corroborar o que está afirmando.

“O profissional deve fazer uma autoavaliação e pensar quais são as palavras chave da sua função e que o descrevem. Ele pode pensar que palavra ele utilizaria para procurar um profissional como ele”, indica Natalia.

Dificilmente um recrutador vai pesquisar o termo “apaixonado”, mas isso não quer dizer que seja ruim descrever a si mesmo usando esse adjetivo. Termos assim indicam uma conexão emocional com o trabalho, que é bem vista.

Fonte: Exame