O que nunca falar na hora de negociar um aumento de salário

Especialista pela Harvard Business School, Breno Paquelet, aponta cinco problemas comuns na comunicação que acabam com a negociação.

Pedir um aumento no salário é uma situação estressante. Com medo de ter o pedido rejeitado, muitos nem tentam ou ficam buscando razões para evitar a negociação.

Afinal, existe um momento ou forma ideal para negociar o salário?

De acordo Breno Paquelet, especialista em negociação pela Harvard Business School, a conversa deve ser evitada apenas em momentos pontuais que tomam a atenção da empresa, como a proximidade de eventos grandes ou notícias muito negativas e de grande repercussão sobre a companhia.

É mais estratégico que seu gestor possa se concentrar no seu pedido, sem ter um grande problema como distração ou ter influência de pessimismo.

Fora isso, Paquelet comenta que três coisas são importantes na decisão sobre a negociação: se você precisa e merece obter mais do que tem atualmente, se seu pedido de aumento é viável para a empresa e se você consegue convencer seu gestor de que o aumento é o melhor a fazer.

O cenário da empresa e da economia do país, alto desemprego ou demissões não devem pesar na decisão de fazer o pedido ao chefe.

“A regra geral é: se você conseguir estruturar e montar seu caso, se seu salário está defasado e poderia ir para uma faixa superior, dá para ter essa conversa. Sua argumentação terá que ser embasada em fatos concretos da sua produtividades e da faixa salarial com base de comparação”, fala o especialista.

Fonte: Exame.com